terça-feira, 17 de junho de 2008

Educação vs Avos

Este post será, para alguns, como olhar-se no espelho, para outros nem tanto.

Este post é um desabafo do dia-a-dia do André.


Este post começa assim:

"Era uma vez uma mãe e um pai que trabalham e uma Avo materna que tem tempo para ficar com o neto."



O André, como tantos outros bébes, tem a hipotese de ter 8 horas diarias de atenção por parte de uma avo cheia de paciência e as restantes por parte do pai e da mãe.


A minha mãe sempre esteve a vida toda ligada a crianças. Foi professora primária e educadora de Infância.



Mas os tempos mudam e como quem recicla latas e garrafas assim ela tb passou pelo plano de selecção para reciclagem. Mas por iniciativa propria decidiu ficar em casa comigo desde sempre.


Sim, também sou uma de muitas filhas que teve 24/24 horas de atenção materna e sei que só por esse facto vejo a vida por outro canudo.


Com o tempo a minha mãe foi tendo miudos em casa, para ajudar financeiramente uma casa so com um trabalhador.


Neste momento o André é "um filho de 8 horas" e um neto nas restantes!


É com ela que ele passa a maior parte do tempo, é com ela que ele descobre o mundo e aprende tudo.


E sinceramente e com ela que eu prefiro que ele o faça já que não pode ser comigo.


Não digo que nos primeiros meses não me custou, mas o André já tinha praticamente 7 meses quando começou nestas lides diarias.


Pois até essa data era eu que fazia tudo e não gostava de o entregar em "mãos alheias". Por mais exausta que tivesse era incapaz de distribuir tarefas entre as avos ou fosse quem fosse Eu chamo-lhe o sindrome do Primeiro filho-mae-com-problemas-de-confiança-que-acha-que-a-criançinha-esqueçe-por-nao-a-ver-uma-horita.
Este palavrão todo era aplicado desde a muda de uma simples fralda a um pegar na chucha para lhe por (a esta hora devem de pensar que sou paranoica mas não ;)


Mas tudo correu bem. O Sindrome passou-me mais um bocado ;) e eles já não se veem um sem o outro.





Mas será que é assim tão simples? E o papel que define uma avo, uma mãe e uma educadora?


E as vontadeinhas todas feitas?





Ah pois é, não há bela sem senão e nem tudo o que os avos fazem podemos deixar eles fazerem.


Os avos são conheçidos e reconheçidos por:





1. Fazer as Vontades aos Netos


2. Engordar as crianças


3. Comprar tudo e mais alguma coisa que eles queiram


4. Fazer tudo da maneira antiga e a moda deles


5. Não poderem ouvi-los chorar porque ficam com o coração partido


6. O não é uma palavra duvidoda e que nunca se aplica a não ser no extremamente impensavél


7. Os avos ensinam novas brincadeiras


8. Os avos puxam o lado afectivo as crianças e ensina-os a respeitar os mais velhos


Pois aqui esta uma lista curtissima do que define os avos e haveria muitos mais pontos acrescentar de certo.


Nem tudo é bom, mas tudo faz parte, umas coisas mais que outras mas tudo tem o gosto especial e um cheiro a crescimento que nos leva a viajar no tempo quando eles querem saber das historias de infância.



Vamos por partes



1. Fazer as Vontades aos Netos



Este ponto é critico, perigoso e muito escorregadio.



O que é as vontades? Porque não podem eles (avos) as fazer?



Ora pois eu digo-vos: PORQUE DEPOIS TEM AS CRIANÇAS A CHORAR UMA HORA PORQUE QUEREM ARROZ PARA ESPALHAR NA SALA!!!



Pois é isso mesmo!


Há vontades e vontades. EU faço as vontades ao André quando vejo que não o prejudica nem que me faça os cabelos em pé. Faço-lhe a vontade quando quer ver o cão ou gato da janela, quando quer brincar ao miau, quando quer as panelas e tampas para se entreter na cozinha enquanto faço jantar.


Mas não lhe posso fazer as vontades se ele quer espalhar arroz pela casa, se ele quer uma/duas colheres de sopa e ja esta, se ele que os comandos e telemovéis para fazer de popo.


Ou seja isto gera uma berraria infernal porque eu não o deixo fazer mas a Avo deixa!


Como ainda não percebe o que pode fazer com quem levamos os fisn-de-semana a batalhar nisto e o resto da semana a aturara as birras.


Este ponto para mim nota NEGATIVA.




2. Engordar as crianças




Bem como é do conheçimento publico, o André é um lingrinhas. E com as sopas da avo, as papas, as assordas ele lá vai ganhando mais uns kilinhos a conta disso.


Mas se o bebe já for por si só rechunchudo o melhor é controlarem esta tendência porque. acreditem, elas exageram na dose!


Este ponto para mim nota POSITIVA.




3. Comprar tudo e mais alguma coisa que eles queiram



Como diz o ditado "quem tudo vê tudo quer".



Ok não podemos controlar a "gula" de os avos comprarem tudo o que veem e que acham um maximo, mas podemos controlar o que é necessário e o que pode esperar na arrecadação.


Entre bonecos barulhentos. pianos de musica, microfones que pareçem ser os preferidos dos avos, muitos esqueçem-se que as crianças precisam de roupa, fraldas. leite. toalhitas e entre muitas outras coisas.


Neste aspecto avo do André é bastente controlada, e até uma ajuda preciosa.


Mas se não fosse assim de certo que já teria que ter alugado uma garajem para por tanta tralha.




4. Fazer tudo ha moda antiga e a maneira deles



Antigamente é certo que as crianças andavam gordinhas, cresciam como as outras.Mas também é certo que antigamente muitas crianças morriam de gastroentrites e problemas alimentares, respiratorios etc.



1/10 crianças ia ao pediatra regularmente.



Hoje em dia, e com a ciência que temos isso já não é possivél.



Os Avos ainda acham que comprar farinhas disto e daquilo não vale a pena quando se tem a maezena ali há mão, ou a cerelac.
Ir ao pediatra para ele indicar a alimentação que a criança deve seguir é completamente descabido quando se tem uama avo que criou meia duzia de filhos e mais 20 netos!!!



Neste aspecto e com os problemas do André com o Leite tivemos que ouvir muitas histórias da carochinha e batalhar na mesma tecla para perceberem que os cursos de pediatria não implicam a quantidade de filhos que se tem mas sim ir mesmo para a faculdade!!



5. Não podem ouvilos chorar por que ficam com coração partido



Os avos muitas vezes pelo pouco tempo que tem com os netos compensamessa falta pela ausência de birras ou pela tentativa de não fazer chorar a criançinha.



Mas como a minha mãe passa o tempo com ele o puto aqui não tem sortinha nenhuma!!!



Claro que há choradeiras que se podem evitar, mas chorar faz parte do crescimento e eles com o tempo aprenderam que dali não levam nada com fitas.



6. O não é uma palavra duvidoda e que nunca se aplica a não ser no extremamente impensavél



Ha não?? Não que???



Não mexe!



Não faz!



Não estraga!



Não pode ser!



Estas formas negativas não são complicadas para os avos. Porque a sua tendência natural de avos é deixarem fazer, mexer, partir e estragar.



Uns porque passam pouco tempo com os netos outros porque acham piada.



Quem não acha piada a roupa que esta nas gavetas no chão sou eu!!!



O tempo que perco a dizer ao André que NÂO é desgastante!! Chego a minha mãe e ele quer, ele mexe ele :SSSS



Eu digo não e a avo "ha deixo lá "!!



Ele adora descobrir, e é bom que assim o seja mas também é de pequenino que se aprendem limites e não podemos deixar de os impor!



7. Os avos ensinam novas brincadeiras
8. Os avos puxam o lado afectivo as crianças e ensina-os a respeitar os mais velhos



Para mim estes são os pontos base.



Quando ponderamos deixar o nosso filho com os avos teremos que ter em atenção que esta situação é "uma lamina de dois gumes". Tanto teremos coisas boas, como coisas que sera preciso muita gestão familiar.



O que pesou mais na minha decisão, para além do facto de a minha mãe ter sido educadora de Infância, foi estes dois pontos. Eu acho que os avos são um porto de abrigo, são a imagem familiar do afecto incondicional, das brincadeiras, do descobrir.



Eles tem tempo para apreciar com os miudos a vida, de lhes ensinarem histórias, musicas, de contarem traquinices dos filhos.



Tal como os meus avos!



Ensinam o respeito pelos mais velhos, ensinam a respeitar as diferenças, ensinam que a agilidade não é eterna e que é preciso paciência para os mais velhos. Ensinam que quando forem daquela idade só teram as memorias e que é delas que se faz uma vida cheia!



Daqui a um ano quando o André tiver 2 anos, ira sim para a cresce pelo facto de nessa idade precisarem de ter outros miudos para brincar. Mas mesmo assim a minha mãe sera um pilar constante na vida dele por inumeras razões. Continuara a ir para avo sempre que possivél em genero "part-time".


E eu acho que ele é muito feliz.


Obrigada Avo!!


12 comentários:

Cláudia disse...

Ai, li tudinho UFA!

SE calhar não devia ter lido p fiquei com tantas saudades da minha mãe e da minha avo (já faleceu)...
Ainda ontem li um post sobre o dia dos avós que me deixou chôcha também...
Dia 16 de JULHO é dia dos avós...

bjs e parabéns por proporcionares ao teu filho uma vivência com a avó que muitas crianças não podem ter...

bjs

Cláudia, Mãe do Pimpo & Pimpa disse...

Sabes, os meus filhos também ficam sempre com a Avó. O Pimpo fica com a minha Mãe e a Pimpa com a minha Sogra. E eles adoram-se!!

Sei o que dizes... Ás vezes não é fácil mas é muito saudável a educação que eles (avós) lhes dão.

Bjs Cláudia

Luisa disse...

Tanta coisa para dizer sobre os avós, sobretudo sobre as avós. Principalmente porque as do Martim têm comportamentos antagónicos. Revi-me em muitas coisas que escreveste, mas felizmente alguns dos piores pontos não acontecem connosco.
Não entro em pormenores porque senão ficava um comentário do tamanho do post! LOL

Beijinhos

Sofia disse...

bom miga...
sabes o k penso da savos...
apesar de, neste momento, a minha sogra ser uma salvação para mim, ainda tenho grandes guerras com ela por causa de alimentação, vestir e afins...
e nem vamos fla em doces :S
com a minha mãe... bom, nem sei k te diga...
beijos :)

Ana e Kiko disse...

Olá grande post, mas li tudinho tens razão naquilo que dizes, o meu trakinas ficou com a minha mãe até fazer 1 ano depois foi para o infantário contra vontade dela mas teve k ser. È bom eles terem os avós e tb é bom para nós, mas como em tudo há coisas boas e más.

Tens um miminho no meu blog.

beijinhos

PatLeal disse...

Acho que tens razão em quase tudo que dizes, o João não ficou com as avós porque ambas trabalham. Mas mesmo que assim não o fosse não ia ficar com nenhuma, porque se ficassem com uma tinha a outra a dizer que não ficava com ela, além de que acredito que na escola também estão, eu e o meu irmão fomos para o infantario aos 4 meses e correu tudo bem, e tivemos na mesma os mimos das avós e tudo o que descreves. Ainda hoje o João recebe pianos e micros barulhetos, da avó paterna, a minha mãe deixa-o fazer tudo o que ele quer, por isso acho que mesmo estando no infantario acaba por ser mto mimado. E se não estivesse lá acho que hoje não ia ter mão nele, pq tinha sido "estragado" pelas avós.
Bem esta é a minha opinião. Agradeço sim as avós ao avó que o adoram e que o mimam, mas acho que ele está melhor ni infantario.

Xi apertadinho.

Mamã Pirata disse...

Minha querida leio-te em silencio algum tempo e hoje tenho que comentar.
Tens razao n que escreves mas tb te tigo dou graças a DEUS pq o meu FILHO tem uma AVÒ Materna igual á tua MÂE.
Benevolente,meiga...paciente...enche-o de comida e mimos .E AMA o neto incondicionalmente.As vxs e dificil eu me "impor" e quando tiver 2 aninhos vai pro infantário...mas o meu filho tem a melhor Avó do mundo.

BJS p ti.

Tanita disse...

Quem me dera ter a minha mãe aqui perto de mim para me ficar com a bailarina!
Ou então conhecer uma avó como a tua mãe que ficasse com a minha bailarina...
Ficaria muito mais descansado do que entregando-a a uma estranha...
Que sortudo que é o André!

Tânia,Ângelo e Martim disse...

Oi mamã, é lindo este post e mt bom! concordo em algumas coisas contigo, eu tb fiquei com a minha ,ãe com a minha av+o materna - claro adorava!
beijocas nossas

filipa disse...

Olá Filipa,

Li atentamente o teu post ... e sabes o que te digo .... em toda a minha vida nunca pensei que a presença de uns AVÓS na verdadeira acepção da palavra, fosse tão importante na vida e na educação de uma criança ... a maior parte das vezes só quando não podemos contar com eles ... é que nos apercebemos da falta que fazem e da sua real importância. Fazem falta às crianças ...mas também facilitam tanto a vida aos pais!!!
Imaginem por um dia que não existiam os avós ... e pensem bem nas consequencias que esse simples facto teria na vida dos Vossos filhos, e principalmente, na Vossa ... talvez aí seja perceptível o papel relevante dos Avós!! Parabéns a Todos os que têm Avós Presentes ... são concerteza uns Priviligiados!!!

Um beijinho

Elisabete disse...

Concordo com praticamente td o k escreveste e tal como muitas mamãs, tb eu tive a sorte e o meu filhote o prazer de estar com os avós maternos até cerca dos 16 meses.Kd entrou pra creche foram a tábua de salvação pra me ficarem com o menino sp k ele adoecia pois os patrões gostam pouco de faltas para assistência à família.
Infelizmente houve uma ruptura e agora o Pedro já não convive tanto com eles...circunstâncias da vida...
Mas é mt bom avós e netos estarem uns com os outros:)
Beijocas

Dunga disse...

Olá. Desculpa a intrusão, mas achei de facto este post fantástico..."Assino por baixo" tudo o que escreveste. A minha filha vai para a Creche qd fizer 1 ano, mas a principal razão é que, apesar de os avós quererem muito, a verdade é que por questões de saúde não conseguem ficar com ela o dia inteiro...De qq forma, sempre que der, l´vai ela dar uma "folguinha" à Creche e faz companhia aos avós!! Eu tive a sorte de crescer com os meus 4 avós e guardo as melhores recordações da minha infância...Beijinhos.